sexta-feira, 14 de março de 2014

UM JEITO AMERICANO DE SER(CRÔNICA)

Precisei cancelar uma linha telefônica fixa  da operadora Oi, e nunca pensei que o Brasil estivesse tão americanizado!

Coitados de nós, copiamos só o modelo e esquecemos de imitar a eficiência! Passou  exata uma hora e vinte e cinco minutos para conseguir o meu intento. Engraçado que moro em Aracaju mas falamos com um call center que fica em Belo Horizonte-MG! Uma prima minha que mora emVitória no Espírito Santo precisou dos serviços, ligou e falou com um call center(chique esse nome), que estava localizado em Fortaleza! Não compreendo esta logística(adoro esta palavra, dá um ar de importância ao fato, palavra pomposa)! Seria alguma Teoria das Distâncias Inversas,que nós não conhecemos sendo aplicada, em caráter experimental? Sim, porque aqui em baixo ou é teste, expereiência, ou é o uso de refugos, do que é proibido lá em cima!

Bom mais continuando minha saga, primeiro me atende um atendente virtual  com nome de gente real, Eduardo era o seu nome, e me disse  que iria me "guiar" nesta solicitação.

Aí começa o show do menu. Tecle 1 para não sei que lá. Tecle 2 para sei lá o que. Tecle 3 para blá, blá, blá. Ou tecle 9 para falar com um de nossos atendentes...humanos. Esse humano é meu, é claro que o Eduardo não vai se colocar tão explicitamente assim! Pronto cai na esparrela! Eu, que detesto falar com máquinas, elas não tem emoção, cai na tentação da ilusória tecla 9. Esperei ouvindo musiquinha nada menos  que trinta e cinco minutos para falar com um humano! À esta altura, o telefone já estava no viva-voz e todos na casa acompanhavam a minha agonia.

Disse o nome do titular da linha pelo menos umas dez vezes e o CPF idem. Isso depois de ter vencido uma perrenga com Daniela, a mocinha que me atendeu de que tinha que ser o próprio titular a fazer a solicitação. Eu disse que seria impossível ser ele mesmo o solicitante já que o mesmo trabalhava no Casaquitão, no que ela se convenceu. O motivo do cancelamento foi-me questionado trocentas vezes! E foi falação para lá, falação para cá, até que perdi a paciência, depois que já tinham me passado para a quinta atendente diferente e eu já estar de posse de cinco números diferentes de prontuários, com todas elas tentando me convencer a não fazer o cancelamento:
Eu falei:
_ Como é mesmo o seu nome?
_Marisa, senhora.

Então Marisa eu vou ser sincera, curta e grossa com você. Para eu não mais perder meu tempo e nem você o seu que sei, é muito precioso, vou repetir pela última vez.

_ Eu quero cancelar esta linha telefônica, deu para entender? E falei pausadamente. Eu preciso falar com quem mais, com o Papa Francisco, com a Delma, com o Lula, o Pelé ou o Obama? Não, porque se for preciso eu falo, mas pelo amor de Deus, cancele esta linha!

Quase não acreditei no que ouvi:
_ Está bem senhora. Vou estar cancelando a sua linha.Vou fazer a transferência para o setor de cancelamentos , aí eu voltei a ouvir a maldita musiquimha, até que a linha caiu.

Respirei fundo, tomei um pouco d'água, e, recomecei todo o procedimento. Falei com o Eduardo(o virtual) que me "guiou" na solicitação, falwei com cinco atendentes diferentes, me transferiram para o setor de cancelamentos que...atendeu!
E foi falação para lá, falação para cá, eu já estava exausta, quando finalmente consegui o cancelamento.

Falei:"Louvado seja o Nosso Senhor Jesus Cristo!"
Pena que a atendente mineira, do setor de cancelamentos, não conhecesse a resposta dessa senha nordestina: "Para sempre seja louvado!"

E falou aquela voz de máquina do início da ligação.
_Posso ser útil em mais alguma coisa, senhora?
_ Não, era só isso que eu queria.

Aí, ele mandou aquele textinho decoreba.
_A Oi agradece a sua ligação, tenha uma boa tarde.
Tum, tum,tum,tum...

Tinha se passado uma hora e vinte e cinco minutos desde o início da minha saga!

Imitando o genial Lua, o Luis Gonzaga.o maior de todos os poetas e  cancioneiros: "Aqui tudo mudou, tudo está mudado! Aqui tudo mudou, tá tudo americanizado!"

Poeta e profeta, o Gonzagão!

Nenhum comentário:

Postar um comentário